Começar qualquer coisa do ZERO é sempre um processo beeeem chato.

O primeiro dia de trabalho, a primeira depilação a laser, a primeira viagem com x namoradx novx, a primeira aula de pole dance…. A melhor cara que conseguirá fazer é a de tacho. Você não conhece as pessoas, não sabe falar o “dialeto” local e não faz a menor ideia do que vai acontecer. E com investimentos, queridas sovinas, acontece exatamente a mesma coisa.

Quando a gente começa dá um suador, vontade de desistir, de fechar o site da corretora, de jogar o dinheiro em qualquer poupança e ligar o Netflix (já fiz isso). Calma, que passa.

Para deixar você bem motivada, pense no seu dinheiro rolando em um fundo maravilhoso que rende o dobro da poupança, na sua independência financeira, na sua independência de uma aposentadoria do governo e na sua independência de qualquer ser humano (marido, esposa, família, cunhado).

Quando você decide começar a investir e dá os primeiros passos, vai ver que aquela mistura de pânico com preguiça vai ficando para trás. Assim como acontece com qualquer coisa na sua vida. E esse texto é a forma que encontramos de pegar na sua mão e fazer o processo todo, desde o comecinho para você não desistir.

Começar a investir do zero (em 7 passos)

1. PERCA A PREGUIÇA
Sim, minha cara. O primeiro passo é um esforço pessoal seu de querer começar a investir. E isso ninguém pode fazer por você. Então pensa bem, visualiza seu primeiro milhão e em como será a sua vida com aquele monte de dólares saindo do seu bolso, tipo clipe do 50 Cent.

2. ESCOLHA SUA CORRETORA
O segundo passo para a sua entrada no mundo dos investimentos é ESCOLHER A CORRETORA onde você fará seus investimentos. Esse artigo dá o caminho das pedras para você escolher a sua. A minha é a Rico e recomendo infinitamente, principalmente, para quem está começando a investir. O aplicativo é uma delicinha de usar e você vai se acostumar com ele bem rápido.

Para abrir conta na Rico, basta clicar aqui, preencher o formulário e enviar foto do seu documento e comprovante de residência. Isso, pessoa, foto! É assim mesmo, rápido e moderno. Em até 48h eles te dão o retorno.

A Elaine, minha parça sovina, também montou um passo a passo bem do legal aqui para abrir conta na XP e na Rico.

3. GUARDE O NÚMERO DA SUA CONTA E SENHA DE ACESSO
Assim que sua conta na corretora for aberta, você receberá um e-mail de “bem-vinda” com o número da sua conta, a senha de acesso e a assinatura eletrônica. Guarde muito bem essas informações, assim como guarda a sua conta no banco, pois elas serão necessárias para qualquer movimentação entre contas e para concluir a compra de um ativo.
A assinatura eletrônica é o código que autorizará qualquer transação solicitada por você.

4. QUANTO DINHEIRO VOCÊ TEM PARA INVESTIR?
Enquanto a corretora vai analisando seus dados, dê uma vasculhada no seu banco para entender quanto dinheiro você tem para investir. Eu, por exemplo, tirei tudo o que eu tinha da poupança, duas previdências privadas e um fundo de investimentos multimercado do Itaú (todos eles com rendimento aterrorizante).

Como ainda estava meio insegura com a parada toda de investimentos, comecei saqueando apenas a grana da poupança. Sugiro que você faça o mesmo.

5. O VALOR MÍNIMO PARA INVESTIR
Resolvi transformar isso em tópico separado porque essa pergunta todo mundo sempre faz. O mínimo a ser investido depende do ativo que você está escolhendo comprar e vamos falar sobre cada um deles mais para frente.

Mas a conta é fácil: quanto melhor o rendimento, mais tempo seu dinheiro fica travado e mais alto é valor mínimo e entrada.

Pode ser que você consiga algum investimento pechincha também, como esse CDB do Banco Fibria que surgiu na Rico dia desses, mas eles costumam acabar bem rápido. Portanto, é bom sempre dar uma olhada. Veja alguns exemplos:

Tesouro Direto:  mínimo de R$ 30,00
CDB Banco Original 92% do CDI: mínimo R$ 5.000,00
CDB Banco BMG 116,5% do CDI: mínimo R$ 10.000,00
CDB Banco Fibria 118,5% do CDI: mínimo R$ 5.000,00
CDB Banco Pan 117,5% do CDI: mínimo R$ 10.000,00
Fundo Butiá TOP CP FIC FIRC (rentabilidade até julho de 2017 de 7,6%):  mínimo de R$ 5.000,00
Bolsa de valores: dependendo do valor da ação (geralmente negociada em lotes de 100), você pode investir até com R$30,00, mas não é recomendado começar com tão pouco na bolsa, pois as taxas de compra costumam ser muito altas.

6. TRANSFIRA SEU DINHEIRO E COMECE A INVESTIR
É hora do seu dinheiro se despedir da conta do banco com destino à conta da sua corretora escolhida. Aqui, sem segredos, é um TED normal, só que o destino é aquela conta da corretora, que você deve estar com o número aí anotadinho já.  Simples assim.

7. MONTE SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA
Seu dinheiro já está na corretora, você deve estar sorridente porque perdeu o medo de investir e chegou a hora de colocar a mão na massa. Quando abrir o site ou app da corretora vai ver que tem milhões de opções: Fundos de Investimento, Renda Fixa, Tesouro Direto e Ações.

A indicação de muitos especialistas, que eu sigo para a minha vida de investimentos, é começar fazendo uma boa reserva de emergência, que seria seu custo de vida no mês multiplicado por 6 meses. Alguns sugerem por 10 meses e essa decisão você pode tomar por si.

Se seu gasto médio mensal é de R$ 3.000,00, então sua reserva de emergência de 6 meses deverá ter R$ 18.000,00, ou R$ 30.000, caso você queira fazer uma reserva para 10 meses.

A reserva de emergência é a parte do seu investimento que poderá ser sacada a qualquer hora. Ela fatalmente terá uma rentabilidade menor, mas te dará a segurança de ter uma boa quantia para momentos de aperto financeiro (demissão, oportunidade de abrir um negócio, doença, viagem imperdível etc). É uma espécie de poupança, mas que renderá bem mais.

Vou falar beeem rapidamente dos dois ativos mais recomendados para a reserva de emergência, mas sugiro que faça sua própria pesquisa sobre cada um antes de tomar sua decisão.

Tesouro Selic (LFT): O Tesouro Selic é a modalidade do Tesouro Direto com liquidez diária, ou seja, você pode resgatar a qualquer hora (na verdade após o pedido de resgate, a quantia demora um ou dois dias para cair na sua conta, então, considere isso antes de optar por este ativo).  O mínimo para investir aqui é de R$ 30,00 e você paga uma taxa de 0,30% ao ano, fora o Imposto de Renda.

Fundo DI: Esse tipo de Fundo de Investimento aplica no mínimo 95% do patrimônio nos títulos públicos federais do Tesouro Direto (atrelados ao CDI ou Selic) ou em títulos privados de baixo risco. Isso significa que ele vai render, no máximo, 102% do CDI. Aqui também é a liquidez que conta. Precisou do dinheiro? O resgate, em geral, acontece em um dia útil.

Se você conseguir chegar até aqui, já pode falar que é uma investidora! Os próximos passos vamos contar daqui pra frente, mas é importante ter em mente duas questões: manter o ritmo de investimento mensal e conhecer melhor os ativos oferecidos pela sua corretora.

E aí? Animada? Guardou o medo no bolso? Conta pra gente! 😀

Comece a investir do ZERO (sem pânico)

Anita Delmonte


Jornalista, produtora de conteúdo, marketeira e investidora sovina (por esforço próprio).


Post navigation


2 thoughts on “Comece a investir do ZERO (sem pânico)

  1. Olá, sou novata no mundo dos investimentos e eu realmente não sei NADA sobre investir. Esse post está me ajudando muitíssimo!! Mas ainda tenho um pouquinho de dificuldade com as siglas usadas e o que elas significam…
    O que significa CDB, CDI, TED?
    Agradeço desde já

  2. Oi Ju, vamos as suas dúvidas:

    CDB (tirada do site da Verios): CDB significa Certificados de Depósito Bancário, que é um título de renda fixa do tipo crédito privado, oferecidos por bancos. Na prática, você empresta dinheiro ao banco, que te remunera com juros. Este tipo de investimento é oferecido por todas as corretoras e costumam pagar melhor que outros títulos de Renda Fixa.

    CDI Tirado do Guia Bolso): Certificado de Depósito Interbancário ou, simplesmente, CDI é um título de emissão das instituições financeiras, que lastreia as operações do mercado interbancário, ou seja, transações entre bancos. Veja mais no site deles: https://blog.guiabolso.com.br/2015/09/16/entenda-o-que-cdi/

    TED: é um tipo de transferência bancária entre contas. Geralmente, é preciso fazer um TED para transferir dinheiro de sua conta no banco para a conta de uma corretora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *