Férias para mim é assunto de gente grande. Assim como pagar aluguel e conta de luz, criar filho, fazer check up médico e levantar cedo para trabalhar.

E a partir do momento que eu escolhi dar esta importância toda para as minhas férias, aconteça o que acontecer, em hipótese alguma eu abro mão de fazer uma viagem dos sonhos. Me desdobro, adianto trampo, até mudo a data se for preciso, mas NUNCA cancelo. E não tem chefe ou ex-chefe nessa vida que ousaria desmentir o que eu acabei de dizer.

Viagem dos sonhos

Minha ideia de viagem dos sonhos e férias perfeitas inclui choque cultural, praia, andação, suadouro e gringo falando na minha cabeça. E isso significa ir para longe, o mais longe possível que meu dinheiro consiga me levar.

Aí o povo pergunta: “Nossa, Anita, você fala que economiza, mas faz um puta viajão de férias! Deve estar rica”. Não, bebê, não estou ryca. Se Deus e minha corretora quiserem eu vou ser muito ryca um dia, mas ainda não cheguei lá. Então, como eu faço o tal viajão todo ano? Com três etapas simples:

1) querendo, 2) economizando e 3) me planejando para isso.

Tão simples que eu consigo listar num espirro as dicas para você conseguir fazer a viagem dos sonhos, sem deixar seus investimentos de lado, e sem deixar de ser uma verdadeira rainha sovina.

1 – Decida para ONDE VOCÊ QUER IR

O primeiro passo para você conseguir ter férias perfeitas é escolher o destino dos seus sonhos com um ano de antecedência, no mínimo. Acabei de passar 22 dias na Europa e o destino foi escolhido um ano e meio antes.

Mas seja sensato. Mas não vale dizer que gostaria de ir para Miami, mas daria uma passadinha na Itália e ficaria a última semana no Nordeste. Assim como uma mesma viagem não comporta Disney e Leste Europeu.

Essa indefinição sobre o destino da sua viagem dos sonhos, vai deixar obscura a parte mais importante do planejamento das suas férias, que é descobrir o valor que você irá gastar. $$$$$ E quanto mais você demora para descobrir isso, menos tempo tem para juntar o dinheiro e menos sovina fica a sua viagem.

Então, senta a bunda no Google, dá uma pesquisada, leia depoimentos, converse com amigos viajados e escolha de uma vez por todas o destino dos sonhos das suas férias. Dá trabalho? Dá.

Aceita uma dica pessoal do fundo do coração?  Não escolha o destino mais conveniente ou o mais “em conta” e sim O DESTINO DOS SEUS SONHOS. Se não for assim, pode ser que você não se empenhe tanto para juntar o dinheiro.

Eu e meu flamingo na Croácia, em 2017: a plenitude de quem escolheu o destino dos sonhos

2 – Escolha AS DATAS da sua viagem

Com o destino em mãos, chegou a hora de começar a pesquisar as melhores épocas para viajar. Fato é que alta temporada existe no mundo todo e para conseguir viajar com tranquilidade e, por um preço bem mais decente, é melhor você fugir dela, que costuma acontecer nesses períodos:

  • Alto verão
  • Alto Inverno (para destinos de neve)
  • Feriados nacionais (desses de 4 dias emendados)
  • Natal
  • Final de Ano
  • Qualquer tipo de férias escolares (que vale também para a semana do saco cheio)

Lembrando que se você viajar um mês antes ou depois da alta temporada, tem grandes chances de pegar as mesmas condições climáticas, não ter que dividir seu guarda-sol com outros 10 turistas e ainda pagar valores até 40% mais baixos. Sim, 40%!

Na Europa, por exemplo, vá em junho ou setembro e esqueça julho e início de agosto. Se sua preferência for pelo Caribe, além da alta temporada, é preciso checar o calendário de furacão e terremoto. Já no Sudeste Asiático (Tailândia e companhia), o verão é a estação mais chuvosa e você corre sério risco de ficar trancada no quarto do hotel jogando carteado.

Como você está fazendo isso com muita antecedência, vai ser fácil negociar no seu trabalho as datas perfeitas para a sua viagem sovina dos sonhos.

3 – Descubra QUANTO CUSTA ir para o seu destino perfeito

Muita gente, mas muita mesmo, já fala de cara que não tem dinheiro para viajar sem nem saber quanto custa uma passagem para o lugar. E sair espalhando isso por aí já é meio caminho andado para você não conseguir concretizar suas férias perfeitas.

Ora, se você não faz ideia de quanto custa, de fato, como sabe que não tem dinheiro, bebê?

Portanto, é hora de pesquisar os preços e saber quanto sua viagem custará de verdade. Esse é o único jeito de você saber como deverá ser feita sua programação.

Esses são os itens básicos que você precisará cotar:

  • Passagens (Skyscanner, Decolar, Kayak)
  • Hospedagens (Booking.com. AirBnb.com e HostelWorld)
  • Valor da água
  • Valor de uma refeição
  • Valor do seguro saúde (muitos países exigem que você tenha este seguro para viajar)
  • Valor médio do taxi ou Uber, se na cidade escolhida o serviço estiver disponível

Eu costumo contratar minhas viagens por conta própria, mas sempre passo em alguma agência com as datas e o destino anotados para ver se eles têm alguma promoção. Quando fui para a Tailândia, em 2015, comprei a passagem em uma loja física da CVC, que era o lugar mais barato de todos e dividia de 12 vezes sem juros (juro). Pura delícia!

4 – Pague a VIAGEM antes da VIAGEM

Esse é o grande segredo da sovina viajante: pagar a trip antes, e nunca depois.

Veja bem, se a passagem para o destino dos seus sonhos custa R$ 3.500,00, em 12 meses você paga uma prestação menor que R$ 300,00 por mês. Suave na nave.

Isso vale para o restante das despesas da viagem também. Ah, mas hotel não dá para pagar antes? Então, guarda o dinheiro em algum fundo de renda fixa ou CDB de liquidez diária e paga antes de ir. Mas guarda esse dinheiro, pelamor.

Em uma conta rápida:

– Uma viagem de R$ 10.000,00 (Eurotrip, Disney, Maldivas e destinos paradisiacos) pode ser paga economizando R$ 500,00 todo mês durante um ano e meio.

– Já a de R$ 5.000,00 (Miami, Caribe, Cancun, América do Sul, Brasil, Sudeste Asiático, etc) pode ser paga com uma prestação de R$ 250,00.

Minha Eurotrip (Itália, Croácia, Eslovênia e Holanda) custou R$ 11.000,00 e paguei mais ou menos R$600,00 por mês até a viagem.

Acha que não consegue juntar esse dinheiro? Então corre para a próxima dica, mas por favor, eu imploro, não troque seu destino!

5 – Qual ESFORÇO real você está disposto a fazer para ter a viagem dos seus sonhos?

Antes de falar que não tem MESMO essa grana para pagar de prestação, tente dar aquela olhada sincera nos seus gastos mensais. Dá para cortar alguma coisa?

Olha que sempre dá: academia, compra superfaturada de supermercado, 2 jantares fora por mês, pizza toda semana, roupa e sapato novo, roupa e sapato novo, roupa e sapato novo (o disco não arranhou, só queria enfatizar o quanto esse gasto pesa na vida das molieres), etc.

Mas que dá para tirar de algum lugar, dá! Eu, por exemplo, cancelei minha psicóloga (ela está aqui no grupo para provar), que custava por mês exatamente o valor da prestação da viagem.

Cada uma com seu calcanhar de Aquiles….

Ah, mas eu ainda sou estagiária,  pago faculdade e nunca tenho dinheiro para nada. Nesse caso, sovina júnior, vale o bom senso. Escolha seu destino de forma minimamente compatível com a sua renda. Mas ainda assim, acho que com planejamento dá para guardar uma grana. Claro, se a viagem for REALMENTE uma prioridade na sua vida.

6 – Venda suas férias, bebê!

Às vezes, dependendo do seu destino dos sonhos, é melhor pegar 20 dias de férias e vender os outros 10. Eu gosto muito dessa estratégia e faz com que minha viagem dos sonhos seja uma viagem dos sonhos sovina.

É aquela coisa: antes de viajar cai um dinheiro lindo na sua conta, você já está com praticamente toda a viagem paga e vai sem muitas preocupações.

7 – “Ai, vou comprar uma mala nova para viajar!”

Não faça isso!

Na sua família (abuse daqueles grupos do whatz com 30 pessoas), no trabalho ou TL do Facebook sempre vai ter uma alma caridosa disposta a te emprestar uma mala dahora. Lembre-se de que uma boa mala custa uns R$ 400,00. Quase o valor de uma das prestações da sua viagem.

8 – “Nossa, mas não é difícil investir e juntar a grana da viagem ao mesmo tempo?”

Difícil sim, mas não é impossível. Até porque, se fosse fácil eu não teria escrito esse artigo, né genthy? No meu caso, dependendo do valor da viagem, eu fico 2 ou 3 meses sem investir para garantir que eu vou pagar a viagem antes de ir. Para mim, isso é o mais importante de tudo.

Mas como sempre sobra algum dinheiro no final das contas (eu disse, viagem sovina), eu acabo compensando depois e investindo mais depois que pago a última conta de cartão de crédito da viagem.

9 – “Só uma lembrancinha pra tia Márcia”

A libertação da minha vida aconteceu quando parei de trazer lembrancinha para as pessoas.  Em qualquer viagem que fazia, Londres ou Guarujá, lá estava eu com a mala cheia de tranqueira: imã de geladeira, licor de jabuticaba, copo de tequila decorado, camiseta “Estive em xxx” e linguiça local.

Essa prática anti-sovina, além de estressar qualquer um, contribui para você gastar seu dinheiro de forma pouco inteligente. Afinal, porque raios uma pessoa que nunca foi a Búzios usaria a camiseta “Estive em Búzios” que ganhou de você?

Portanto, nada de lembrancinhas!

E aí, ficou animada? Vai começar a planejar sua viagem dos sonhos hoje mesmo?
Se precisar de algum help, me avisa!

SOVs, mas é bom lembrar que nenhuma dessas dicas vale se viajar ou tirar férias não for uma prioridade para você, certo? Planejar só funciona quando você tem um objetivo claro, uma prioridade e uma vontade gigante de realizar alguma coisa.

Amor,
Anita

 

Férias SOVINAS: faça a viagem dos sonhos sem sofrência

Anita Delmonte


Jornalista, produtora de conteúdo, marketeira e investidora sovina (por esforço próprio).


Post navigation


One thought on “Férias SOVINAS: faça a viagem dos sonhos sem sofrência

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *